Entrevista com Karla Amadori, do canal Diycore

Designer de interiores traz dicas para deixar a sua casa mais bonita

Publicado em 01/12/2016
Entrevista com Karla Amadori, do canal Diycore

Uma das tendências que mais tem crescido no universo da decoração é o DIY - Do It Yourself - o famoso "faça você mesmo". Com isso, diversos sites e canais do YouTube apostaram na ideia de produzir conteúdos como personalização de móveis e espaços, e produção de peças exclusivas. 

Entre eles está o Diycore (leia Dicore), um canal que também possui um site com o mesmo nome, fruto do trabalho da designer de interiores catarinense Karla Amadori, que em um belo dia resolveu modificar seu quarto e não encontrou muito material na internet para inspirações. Dessa forma, ela uniu a profissão com seu gosto pessoal e criou um meio de transmitir seus conhecimentos e ajudar as pessoas a produzirem suas próprias peças.

Conversamos com a Karla para saber mais sobre o seu trabalho, quais os frutos que ele tem lhe rendido e ela também falou sobre a criatividade dos brasileiros na hora de decorar suas casas. Confira a entrevista completa:

Quando tudo começou, seus pais deram total liberdade para você redecorar seu quarto e colocar suas ideias em prática?

Foi bem tranquilo, eles confiam muito no meu trabalho. Na verdade, eu posso mudar qualquer cômodo, eles sempre pedem sugestões e eu faço pequenos objetos para eles também. No quarto, eu falei que queria mudar e eles apoiaram, e como não tinham condições de fazer e dinheiro para investir, eu procurei criar minhas próprias coisas, e foi aí que comecei a praticar o DIY.

Seus amigos pedem muitas dicas para decorar a casa deles?

Sim, eles me pedem para fazer projetos, porém nem sempre consigo, pois recebo muitos e-mails, mas sempre que posso eu ajudo com dicas e sugestões.

Qual é o pedido mais comum que as pessoas fazem?

Sempre me pedem para fazer vídeos e posts de móveis multifuncionais, sempre voltados para espaços pequenos ou para imóveis alugados, situação em que as pessoas não podem fazer muitas interferências no local.

Os brasileiros são criativos na hora de decorar sua própria casa?

Sim, nós somos muito criativos! (risos). Ainda mais agora que o DIY está em alta, muitas pessoas estão criando coragem de colocar a mão na massa. Eu recebo muitos e-mails e mensagens falando que criaram coragem de pintar um móvel ou uma parede. E o brasileiro também tem muito bom gosto na hora de fazer suas escolhas.

Que hábito de decoração que as pessoas têm que você não acha legal?

Uma das coisas que mais me incomoda são as pastilhas. Eu não gosto, é uma questão de gosto mesmo. Sempre que vi fazendo parte de uma composição parece que carregou muito, além de não passar a sensação de limpeza.

 

Entrevista com Karla Amadori, do canal Diycore

 

Qual o trabalho mais difícil que já encarou?

Acho que foi quando eu me formei, o meu trabalho de conclusão de curso. O projeto era elaborar o interior de um iate, algo que não foi abordado na faculdade. Então teve toda uma pesquisa de campo, foi muito desafiador. O segundo mais difícil foi o primeiro vídeo do canal, no qual eu ensino como transformar caixotes de feira em móveis. As pessoas acham que na faculdade nós aprendemos a fazer os móveis, mas não é bem assim, lá aprendemos a parte teórica e colocamos a mão na massa apenas quando vamos para o mercado.

Quais ferramentas básicas uma pessoa precisa para já poder começar a fazer suas decorações/itens?

Acredito que apenas um kit básico de ferramentas mesmo, que seria um martelo, um kit de chaves, uma parafusadeira, uma furadeira, lixas, tintas e cola branca para colar as madeiras. Não precisa de muito para criar coisas bacanas.

Notamos que você divulgou alguns projetos que seus seguidores fizeram baseados nas ideias que você já sugeriu no canal. Você conhece pessoas que estão ganhando a vida comercializando esses materiais?

Tem uma história que eu achei incrível que foi a de um senhor aposentado. Uma senhora mandou um e-mail falando que seu marido estava em casa se sentindo desocupado e com muita vontade de dar um novo sentido à vida, e assistindo ao canal ele decidiu fazer os móveis para passar o tempo e posteriormente comercializá-los. Fiquei muito feliz em saber disso. 

As pessoas também sempre me pedem sugestões de preços para vender os materiais produzidos a partir dos vídeos, eu tento ajudar o máximo que eu consigo.

Atualmente, onde você tem buscado inspiração para novas ideias?

Minha principal fonte de inspiração é a internet. Sempre acesso sites do exterior, buscando coisas diferentes, que não estamos acostumados a ver por aqui, a partir de culturas diferentes e materiais diferentes. Utilizo muito o Pinterest, sempre procuro saber o que as pessoas gostam e o que elas estão querendo para poder reproduzir e ajudá-las com isso.

E qual o estilo de decoração que você mais gosta?

Eu prefiro o pop e o moderno, com suas cores vibrantes, alegres e chamativas. Não sou muito fã do retrô.

Nos primeiros vídeos você parece muito mais séria, hoje está mais descontraída. O que você fez para ficar mais à vontade na frente das câmeras?

Eu sou muito tímida, até para me relacionar pessoalmente ou falar em público tenho essa dificuldade. Então no começo foi difícil, pois estar em frente à câmera era como se estivesse com uma ou milhares de pessoas ali na minha frente. Mas foi algo natural, que veio com o tempo. Aos poucos eu fui me acostumando com ela.

Os seus vídeos têm ótima qualidade de edição e definição. Também reparamos que em muitos deles o seu namorado está por trás das câmeras. Ele sempre ajuda ou tem vezes que você faz tudo sozinha?

O canal leva meu nome, mas na verdade é meu e dele, pois ele me ajuda em tudo, desde as pesquisas, definição das pautas e edição dos vídeos. Como ele é designer gráfico, ele que fez o logo, as artes, além de cuidar da parte comercial também.

No dia 20 de julho você estava comemorando 100 mil inscritos, e agora já passa dos 380 mil - em 4 meses triplicou o número. Como está se sentindo com esse sucesso?

Está sendo maravilhoso, comecei sem pretensão, e jamais pensei que isso fosse virar minha profissão, porque hoje eu vivo apenas para o canal e o blog. Fiquei muito feliz e estou mais feliz por estar crescendo. E, para mim, é importante não só o reconhecimento das pessoas como o das empresas também, que chegam até mim através dos vídeos.

 

Entrevista com Karla Amadori, do canal Diycore

 

Sua iniciativa de pedir para que as pessoas enviem fotos de ambientes para redecorá-los já rendeu algum fruto?

O próprio projeto não, mas muitas pessoas entraram em contato solicitando meus serviços a partir do momento que descobriram que eu trabalhava com isso, aí começaram a pedir orçamentos de móveis e decoração em geral. Infelizmente não estou conseguindo conciliar os dois, e acabo direcionando os trabalhos para outros amigos. Pretendo no futuro elaborar os projetos e ainda manter o canal.

O que você espera do canal?

Estou buscando sempre inovar, criar novos quadros. Recentemente, por exemplo, estava pensando em inserir outro assunto no canal, para renovar. A ideia é continuar com o canal mesmo. Já tive outras experiências profissionais e decidi que não é isso que eu quero, eu realmente me encontrei no canal.

Quais as tendências de decoração para 2017?

As tendências ainda estão surgindo, por enquanto o que eu tenho visto são os azulejos geométricos, que podem ser de diversas cores ou uma só, e juntas podem formar desenhos variados. Já no quesito cor, o verde azeitona promete bombar.

Para conferir os vídeos do canal Diycore, clique aqui.

Por Natália Lins