Publicado em 15/12/2016

Entrevista com Karina Belarmino, YouTuber que ensina a costurar de forma simples e prática

Canal também transmite a ideia de empoderamento e preocupação com a exploração da moda

A canção de Rita Lee que diz "Um belo dia resolvi mudar e fazer tudo o que eu queria fazer" reflete as atitudes que muitos tomam quando se cansam de fazer o que estão condicionados e decidem encontrar novos caminhos. E foi exatamente isso que aconteceu na vida da YouTuber Karina Belarmino, de São José dos Campos.

Após se formar em tecnologia da informação, ela descobriu que não era isso que queria fazer, e resolveu mudar completamente, partindo para o universo da costura. Criou um canal, que leva seu nome, com o intuito de apresentar a primeira peça de roupa que havia costurado sozinha. O que começou sem pretensão logo tomou proporções inesperadas e hoje ela conta com mais de 100 mil inscritos e cerca de 4 milhões de visualizações.

Karina utiliza o espaço para falar sobre moda, tendências e personalização de roupas, pois a ideia central é ensinar as seguidoras a construírem suas próprias peças, além de incentivar as mulheres a se vestirem com o que se sentem bem, independentemente do que os padrões sociais impõem. Conversamos com ela para saber mais sobre o seu trabalho e o que ele tem lhe rendido. Confira a entrevista completa:

Você faz as roupas apenas para si mesma ou também comercializa algumas peças? 

Eu só faço roupa para mim mesma e algumas peças eu faço exclusivas para o canal. É bem normal confundirem, mas meu trabalho é apenas na internet mesmo, não tem nada a ver com confecção. É só o tema dos meus vídeos e uma coisa que eu gosto de fazer.

No nível de confecções e técnicas que você chegou, acredita que uma faculdade seria importante ou não pretende iniciar um curso especializado?

Eu acredito que seria muito importante, inclusive é um dos meus planos. Já era para ter iniciado, mas por questões logísticas eu não consegui começar ainda, porque aqui na região que eu moro não tem nada relacionado à moda, tudo é bem longe. Eu teria que ir para São Paulo e ficaria um pouco complicado, por isso estou adiando, mas está nos meus planos sim.

Quando decidiu mudar de carreira recebeu alguma crítica ou teve total apoio?

As críticas são sempre as primeiras a chegar. Eu fui chamada de louca porque eu estava largando uma carreira promissora que já estava iniciada. Trabalhava numa multinacional, e as pessoas achavam que eu estava largando tudo para fazer algo que não daria em nada. Além daquele ar de descaso que lançam quando você fala que está começando a fazer vídeos. Mas, por outro lado, as pessoas mais importantes e mais influentes na minha vida deram total apoio. Depois de iniciar os trabalhos com o canal e me dedicar a isso, eu acho que é isso que importa no fim das contas.

Você já disse em um dos vídeos que não faz roupas mais elaboradas porque você não usa. Mas quando surge um casamento ou uma festa você procura algo pronto ou acaba trabalhando em alguma peça sua?

Eu tento fazer o possível para não comprar e conseguir costurar o que eu preciso usar, tanto que até no último final de semana eu fui madrinha de casamento e o vestido foi um modelo que eu mesma fiz, usando técnicas super simples que eu já ensinei no canal. Essa questão de não fazer roupas mais elaboradas envolve mais a linha do canal mesmo, porque a essência dele é fazer da forma mais simples possível para inspirar quem nem imaginava ser possível fazer a própria roupa e também manter os vídeos bem curtos, algo que não vou mudar.

Eu recebo muitos pedidos para fazer vestidos mega elaborados, coisas que eu não tenho conhecimento para fazer e modelos que não combinam com meu estilo. Então, como tudo que eu mostro no canal é algo que fará parte do meu armário, tento priorizar o que vai ter uso para mim.

Onde você busca inspiração para a produção das peças?

Eu sou completamente apaixonada pelas décadas de 40 e 50, acho que dá para perceber um pouco pelas minhas roupas meio de vó, mas eu também sou super defensora de cada um usar tudo que gosta e que deixe essa pessoa feliz, então eu tento pegar as referências atuais e moldar para o meu estilo - tudo com a costura bem fácil.

Seus posts acontecem semanalmente. É muito difícil manter essa disciplina?

Agora já estou mais acostumada, mas é um trabalho difícil, principalmente por ser home office.

Como é a sua rotina? Trabalha todos os dias com costura ou possui outros projetos?

Na verdade eu não trabalho com costura, esse é só o tema dos meus vídeos. E gravar uma peça é a parte mais rápida, por incrível que pareça. O que demora mesmo é todo o processo de separação de ideias, criação de conteúdo, edição de vídeo, organização de postagem, sessão de foto, edição de imagem, essas coisas. Eu também faço edição de vídeo e imagem para outros canais, então meu trabalho envolve edição e internet no geral.

Você acha que as roupas no Brasil são muito caras? Costurar é a melhor saída?

Bom, caro e barato é uma coisa relativa, né? Se não é caro no preço, como por exemplo as fast fashions, o valor vai estar sendo pago de outro jeito, talvez na exploração de recursos naturais ou na exploração de pessoas. Costurar eu até acho ótimo, é lindo e eu amo, mas temos que ser realistas e nem todo mundo vai ter vocação para isso, então existem outras formas de colaborar, seja apoiando o artesão ou comprando de uma marca local que sabemos a procedência. Neste caso, serão peças caras, pois serão feitas artesanalmente, mas temos que pensar que estão vindo de um lugar em que todas as pessoas envolvidas estão sendo remuneradas justamente e os impostos sendo pagos, além de serem peças de qualidade, que irão durar muito mais tempo.


Qual peça de roupa ainda é um desafio para você na hora de costurar?

Eu considero que eu costuro há pouco tempo, porque quando eu criei o canal foi quando eu fiz a minha primeira costura, então conforme o tempo foi passando fui aprendendo e mostrando isso para as pessoas. Quando criei o canal era mais como um diário para mim, o que eu ia aprendendo eu ia passando. Não fiz todos os tipos de peça ainda, mas o vestido de noiva que eu achava que era algo inalcançável, consegui fazer, então eu acho que eu gosto mesmo de um desafio e o que aparecer será muito bem-vindo.

Você costura roupas para o seu noivo também?

Não, eu só costuro para mim mesmo e não tenho vontade de costurar roupa masculina e nem roupa infantil, que é algo que me perguntam muito.

Você se sente cada vez mais confortável na frente das câmeras? O que mudou na forma de apresentar ao longo desses dois anos?

Quanto mais fazemos algo, melhor nos tornamos, então conforme o tempo foi passando falar para a câmera foi ficando mais fácil, mais natural. Um fato engraçado foi que a primeira vez que eu liguei a câmera para gravar um vídeo eu passei um dia inteiro e não consegui gravar o vídeo todo! É até engraçado lembrar disso porque hoje eu consigo gravar vários vídeos em uma tarde.

Você grava/edita os vídeos sozinha ou conta com a ajuda de outras pessoas?

Meu canal, o blog e todas as redes sociais são todos 100% Karina Belarmino. Eu que elaboro conteúdo, crio, publico, respondo comentários e e-mails. Apenas nas tomadas externas e fotos de corpo inteiro que eu conto com a ajuda do meu noivo, André.

Seu canal está prestes completar 2 anos e já acumula mais de 100 mil inscritos. Inicialmente a expectativa era de alcançar tanto sucesso assim? Qual era o objetivo em termos de audiência?

Eu comecei o canal mais porque queria compartilhar aquele momento que eu estava passando, de ter feito uma roupa eu mesma. Então o início foi totalmente sem pretensão, mas, com o passar do tempo, percebi que gostava daquilo e que queria fazer aquilo mesmo, então passei a tratar como um trabalho. Eu tinha noção de que ele iria crescer, que é o curso natural das coisas. Mas eu realmente não tinha noção de como isso seria, e eu ainda me surpreendo com a repercussão. Por exemplo, eu não esperava atingir 100 mil inscritos com 1 ano e 9 meses de canal. Fico muito feliz mesmo com o reconhecimento do meu trabalho nessa velocidade com que as coisas estão acontecendo. Considero que é o retorno do esforço que eu emprego.

O que conseguiu conquistar por meio do canal que nunca teria conseguido caso ele não existisse? 

Primeiramente, eu consegui um trabalho que eu gosto de verdade e que sou muito feliz em fazer, além de ser flexível o suficiente para eu mudar de lugar, para poder fazer coisas que um trabalho formal não me permitiria. E depois, acho que a motivação para continuar no caminho contra as regras e padrões sociais, pelo menos na forma de se vestir, porque meu sonho era que toda mulher pudesse vestir o que quisesse sem pensar se a roupa X fica boa no corpo Y ou que ela não pode usar porque ela não tem o corpo no formato de "pera" ou coisa do tipo. Eu acho maravilhoso conseguir falar isso para outras pessoas e ver minhas ideias sendo compartilhadas, e que também outras pessoas estão se identificando comigo.

Você pensa em criar uma marca própria um dia?

Sonhar é de graça né (risos)? Então é um sonho que eu espero alcançar um dia, mas por enquanto meus projetos estão todos voltados para o canal mesmo.

Para conferir os vídeos do canal Karina Belarmino, clique aqui

Por Natália Lins

Sou Moda

Grupo de Ofertas

Sou Moda é um site agregador de ofertas gratuito, ou seja, não vende produtos próprios. Sendo um agregador de ofertas não podemos garantir o preço, a disponibilidade dos produtos e a duração das ofertas, caso haja diferença de preço ou descrição do produto entre o nosso site e o site da loja, a condição válida e praticada será a do site do lojista. Sempre confira o preço e as condições diretamente no site da loja. Veja também as regras de entrega gratuita, parcelamento e política de vendas no site do lojista. As ofertas, condições de venda e preços dos varejistas podem ser alteradas ou interrompidas a qualquer momento, sem aviso prévio e por isso não nos responsabilizamos. Confira sempre o preço na página do produto da loja direcionada antes de efetuar a compra. A entrega do pedido é condicionada a disponibilidade do estoque do lojista e não está sob responsabilidade de soumoda.com